Depois de contar o surgimento da cultura cyberpunk com a literatura na primeira matéria da série Rebeldes da era digital, e seguir falando como esse movimento se aplica à música em uma segunda matéria. Hoje chegou a hora de conhecermos como esse movimento se estendeu até nas produções cinematográficas.

Bem… vamos começar contando da produção que ganhou maior destaque como pioneira desse movimento para o cinema. Não é muita surpresa, porque comentei dela nas outras matérias. Estou falando do filme Blade Runner (1982), adaptado do livro Sonham os andróides com ovelhas elétricas?, de Philip Kindred Dick. O longa se centra em uma distopia futura na qual seres manufaturados chamados replicantes são usados como escravos em colônias do espaço, na Terra presa de vários caçadores de recompensas, os quais se encarregam de “aposentá-los” (matá-los).

Blade Runner, apesar de hoje ser um clássico, não foi um êxito em seu lançamento, mas o longa encontrou um grande nicho no mercado de aluguel de filmes. Blade Runner omite os elementos religiosos e místicos do livro de Dick (e.g, caixas de empatia e Wilbur Mercer) o que faz ele cair mais estritamente dentro do género cyberpunk que a obra. O escritor William Gibson revelou, depois que a primeira vez que viu o filme, que havia se surpreendido muito de como a aparência deste filme era similar a sua visão quando estava trabalhando em Neuromancer.

O número de filmes deste gênero, ou pelo menos de um de seus elementos, tem crescido constantemente desde Blade Runner. Vários dos trabalhos de Philip Kindred Dick são adaptados à telona com elementos cyberpunk, chegando a ser tipicamente dominantes. Os exemplos incluem Screamers (1996), Minority Report (2002), Paycheck (2003) e A Scanner Darkly (2006). Mas infelizmente pro argumento original, o filme Johnny Mnemonic (1995) foi um fracasso, comercialmente e para crítica. Os fãs de Gibson reclamam que o argumento se desviou substancialmente do trabalho original, ainda quando o mesmo Gibson escreveu o roteiro final.

O diretor Darren Aronofsky direciona sua obra-prima Pi (1998) em uma Nova York atual, mas construiu o livreto com influências da estética cyberpunk. De acordo com comentários do DVD, ele fez esta produção usando deliberadamente máquinas antigas (como o diskete de 5-¼ de polegada), imitando o estilo tecnológico de Brazil (1985), para criar “una sensação” cyberpunk.

Atualmente, com temas que também englobam elementos do universo cyberpunk, temos o filme Ghost in the Shell, lançado esse ano – Clique aqui e confira nossa crítica.

Confira alguns filmes que caracterizam bem o cyberpunk dentro das produções cinematográficas:

1Metropolis

O clássico de 1927 do Fritz Lang pode ser considerado o avô do gênero por já ter criado uma base para o que veremos mais para frente no cinema. O filme é mudo e se passa numa cidade futurística distópica chamada Metrópolis, em 2027 (faltam dez anos, hein). Enquanto temos os ricos aproveitando a boa vida, trabalhadores vivem no subsolo planejanto uma revolução.

Então temos Maria, uma trabalhadora que acaba se relacionando com o filho de um magnata. O poderoso dono de Metrópolis resolve, então, raptá-la e colocar um robô no lugar para acabar com o plano dos revolucionários.

2Blade Runner

Agora sim, Blade Runner é o filme do Ridley Scott divisor de águas. É uma grande obra-prima de ficção-científica baseado no livro Do Androids Dream of Electric Sheep?, de 1968.

É o grande filme que veio com a trama “Humanos Vs. Androides”, mostrando Harrison Ford atuando como um caçador de replicantes (uma cópia dos seres-humanos) em 2019, quando as pessoas começam a habitar outros planetas.

Ridley Scott criou aqui o que conhecemos como cyberpunk no cinema: uma cidade cheia de edifícios, com uma estética suja, enferrujada e obscura tomada por propagandas. Como se fosse um futuro já velho.

3Ghost in the Shell

Já com Ghost in the Shell, vemos o gênero sendo estabelecido nos animes e mangás japoneses. O mangá é de 1987, com a animação sendo feita em 1995. Ambos também servem de grande inspiração para Hollywood.

Aqui, conhecemos um Japão de 2029, em que a tecnologia é tão avançada que podemos implantar partes cibernéticas no nosso corpo e se conectar às redes de informações. Isso abre um grande espaço para hackers criminosos, que precisam ser detidos pela Major, uma super-agente feita 100% de peças cibernéticas.

A animação é um grande marco da exportação do cinema oriental no ocidente, servindo como fonte até para Matrix. O DVD é ainda vendido no Brasil! (Mas tem inteirinho no Youtube se você procurar)

4Matrix

Matrix é a grande obra das irmãs Wachowski, que beberam da fonte dos clássicos e criaram a obra cyberpunk da virada do milênio. A trilogia criou um padrão de narrativa “Humanos Vs. Máquinas” que é até usada em estudos filosóficos.

Aqui, vemos Keanu Reeves no papel de Neo, um hacker que descobre que a realidade como o mundo a conhece é apenas um mundo inventando e todos nós estamos dormindo enquanto o mundo é dominado por robôs. Então, ele se une a um grupo rebelde para restaurar a ordem normal.

O filme é uma obrigação no repertório cinemático de qualquer um. Ele agrega o gênero futurista à várias metáforas que se aplicam em qualquer época, como a de escolher a verdade crua ou permanecer no conforto da ignorância.

5O Exterminador do Futuro

Como não esquecer da grande franquia protagonizada por Arnold Schwarzenegger? O primeiro filme mostra o ator sendo o Exterminador, um ciborgue matador vindo do futuro com uma história misteriosa.

A franquia vai crescendo com vários filmes e nos apresenta o conceito de cidade futurística distópica, robôs ainda mais evoluídos e vááárias cenas com o mais trash da ação de ficção-científica! Hahaha.

6O Quinto Elemento

O clássico do Luc Besson levou Milla Jovovich ao posto de rainha do gênero sci-fi. Quinto Elemento traz a atriz vivendo um ser-perfeito capaz de salvar a Terra do ano de 2263.

O filme é repleto de cenas lindas, com ambientações futuristas muito bem feitas, grandiosas e divertidas. Toda a caracterização de Milla virou um padrão para o gênero (e tem referências de Ghost in the Shell) que até inspira a Scarlett Johansson nos filmes sci-fi que faz.

7Círculo de Fogo

Círculo de Fogo é uma grande brincadeira do Guillermo Del Toro com o gênero cyberpunk e até com os tokusatsus japoneses (tipo Power Rangers).

No ano de 2020, o mundo é constantemente invadido por criaturas gigantes chamadas Kaijus. Para combatê-las, os humanos criam os Jaegers, robôs gigantes pilotados por humanos.

É completamente insano sem se levar a sério. Temos sequências de ação absurdas com os robôs e monstros ficando cada vez mais poderosos. É maravilhoso! Hahaha.

8Akira

Antes mesmo de Ghost in the Shell, Akira chegava nos anos 80 como um dos clássicos japoneses sobre o gênero. O filme de 1988 se destaca por ter um estilo de desenho muito superior ao que estávamos acostumado na época.

Nesta animação, conhecemos Kaneda, líder de uma gangue de motoqueiros que vive numa Tóquio de 2019 ressurgida com alta tecnologia após a terceira guerra mundial. “Akira” é um filme cult, nos apresentando o melhor da ficção-científica futurista com muita violência.

9Sucker Punch

Antes de começar a adaptar o universo da DC Comics, no cinema, Zack Snyder já vinha mostrando sua estética em Sucker Punch. Com uma narrativa feita de tantas camadas e universos, temos um filme que mistura futuro, passado, cabaret, steampunk, Era Meiji japonesa, nazistas e zumbis.

Parece ser um longa apenas para ficar jogando referências, mas mostra uma série de personagens femininas poderosas visitando vários mundos imaginários a fim de escapar da realidade dura num manicômio. Sem contar que a trilha sonora é meeeeega legal e conta com remixes de Bjork, Queen, Beatles e vários outros!

Até hoje é complicado explicar o que é real e o que é imaginação nesse filme, e tentar descobrir é uma boa experiência.

10Ex-Machina

Ex-Machina é o filme mais atual da lista, estrelado por Alicia Vikander, Oscar Isaac e Domhnall Gleeson. O longa não tem todo aquele cenário de futuro sujo e obscuro, ele é minimalista e muito chique, mas vira um grande suspense com uma ciborgue feita pela Alicia que quer convencer que é humana e começa a perseguir seu criador.

Entre eles, há diversos filmes cyberpunks. Eu citei os que achei mais importantes, mas se vocês souberem de mais algum. Não se acovardem em comentar. 😉

Compartilhe com seus amigos: