Capa do filme

Holocausto Canibal é um filme italiano de 1980, do diretor Ruggero Deodato e com a trilha sonora irônica e a mesmo arrepiante de Riz Ortolani. O filme é um precurssor do famigerado “found footage”, que teve uma explosão ainda maior com o posterior: A Bruxa de Blair (1999).

A trama conta a história de um grupo de documentaristas que desaparecem enquanto faziam um documentário sobre uma tribo de indígenas canibais em uma aldeia entre o Peru e o Brasil. Um jornalista (interpretado por Robert Kerman) interessado na história, vai até a tribo em busca dos documentaristas e do filme do documentário.

O filme ficou famoso não só pela sua violência extrema (com cenas de canibalismo, estupros coletivos, empalamento e assassinatos reais de animais), mas pelo seu contrato entre o diretor e os atores em não fazer aparição em público, afim de preservar o mistério do filme. Assim forjavam como se a história fosse real. O que resultou em Deodato na cadeia e tendo que provar (com os atores e cenas em making-off que nenhuma morte de atores era real, tanto quanto a história do filme).

O método de filmagem ajudou a implantar o found footage, portanto podemos considerar o filme como um clássico e um dos precursores nesse novo modelo de cinema, usado hoje em dia principalmente em franquias como Atividade Paranormal.

Vale lembrar que Holocausto Canibal sofreu muita censura e é proibido em muitos locais. O filme é sim de revirar o estômago, e não é tão recomendado para os que se impressionam com facilidade. A história é muito bem desenvolvida em suas duas partes, na do jornalista e nos documentaristas. Digno de revolta e reviravoltas no estômago, o filme é recomendado aos amantes do gore e de tensões angustiantes e plot-twists agonizantes.

O filme, que está disponível para venda em alguns sites, também disponível no Youtube, tendo em vista que, para seus criadores, ele serve mais sendo acessível gratuitamente do que taxado como clássico e com preço inflacionado.

Assista ao filme (legendado):

Compartilhe com seus amigos: