Quando foi anunciando que Tom Morello estaria no Anti-Inaugural Ball, em Los Angeles, não só com o Prophets of Rage (uma super banda que você pode conhecer melhor nessa matéria aqui), mas com a reunião do Audioslave, quem não ficaria animado? Até porque faziam 12 anos que os músicos não tocam juntos.

Para situar melhor os desatualizados, o Anti-Inaugural Ball foi um evento que ocorreu no dia 19 de janeiro de 2017, realizado em protesto ao presidente dos Estados Unidos, Donald Trump. Sim, no fim das contas essa reunião do Audioslave só aconteceu por causa do Trump. “Aqui é uma zona sem Trump”, disse Tom Morello no dia do evento. “Os imigrantes e os muçulmanos são bem-vindos aqui, o racismo, a homofobia e o bullying não serão tolerados”, completou.

Mas bem… não estou aqui para discutir os motivos socio-culturais desse evento, e sim sobre o retorno do Audioslave, que com o anúncio dessa apresentação, diversos fãs já começaram a sonhar com um possível retorno no grupo.

E para eles, tenho uma notícia que não é boa, pois parece que esse sonho ficou só no sonho. Sabe aquela famosa música ‘Like a Stone’? Então, olha ela aí:

É bastante nítido que algumas habilidades vocais de Chris Cornell se foram, e esse é o ponto chave para algum futuro retorno do Audioslave. Não só pela qualidade das músicas que serão prejudicadas, mas pela saúde do cantor e pela insegurança da aceitação do público.

Em uma entrevista concedida à South Florida, Cornell comentou sobre sua voz. “Conforme o tempo vai passando, tenho menos capacidade e habilidade vocal para fazer coisas diferentes, mas sinto que hoje tenho mais habilidade para me conectar emocionalmente com qualquer canção. Tudo está dentro das expectativas. A voz humana não é um trumpete, não é um piano, está sempre mudando, e um vocalista tem que seguir o fluxo das coisas”.

E como a voz dele está mudada, esse seguir “o fluxo das coisas” talvez não inclua o Audioslave. Pois para conseguir alcançar notas com as técnicas que ele usava há mais de 10 anos, é preciso forçar suas cordas vocais (e mesmo assim é capaz de não alcançar).

Sem comentar que forçar as cordas vocais podem trazer problemas de saúde. E é melhor um Chris Cornell trabalhado com novas canções que se adaptem a sua nova voz, do que um cantor que não pode falar.

Por enquanto, Cornell continua com sua carreira solo e suas músicas de vocais mais leves. E sobre um possível futuro para o Audioslave, a possiblidade é extremamente baixa… mas como dizem: a esperança é a última que morre.

Curtiu? Então compartilhe com seus amigos:
Nasci no dia 11 de novembro de 1995 e hoje moro no litoral catarinense, onde também curso Jornalismo na Univali. Além de ser o fundador e idealizador do Q Stage, o qual me dedico desde 2014, sou músico e trabalho como produtor de conteúdo audiovisual.